10 jul 2017

As dificuldades da mulher mãe, negra e da periferia

 

Uma peça teatral do projeto de extensão Casa Aberta, do curso de Teatro da Universidade Federal de São João del-Rei, pretende trazer ao público uma reflexão profunda sobre os dilemas que envolvem o universo da mulher mãe-negra-periférica com base em relatos reais. A apresentação Olhos d’água acontece no dia 26 de julho, a partir das 19h, na Sala Preta do prédio Reuni III no Campus Tancredo Neves, e é aberta para todas as idades.

Segundo a diretora da peça, professora Juliana Mota, o espetáculo fecha o ciclo de uma trilogia de espetáculos montados pelo grupo. O nome, de acordo com ela, faz uma homenagem a um dos mais famosos contos da escritora mineira Conceição Evaristo.

A peça foi construída, conta Juliana, com base em histórias de mulheres negras do bairro Tejuco, na periferia de São João del-Rei. “A gente recorta esse grupo para poder falar de coisas muito profundas que estão enraizadas na nossa cultura e que nos tocam. Vários alunos do projeto têm mães negras que já passaram por situações semelhantes às que a gente encontrou nesses relatos. Então a história dessas mulheres se mistura com a história do grupo”, conta.

Ao todo, sete atores participam do espetáculo, que pretende mostrar, por meio de movimento e poesia, situações que possam fazer o público repensar o papel da mulher na sociedade contemporânea.

Texto: Bruno de Oliveira

Foto: Divulgação Olhos d’água

Compartilhe:
0 Comment

Leave a Comment

Your email address will not be published.