22 jul 2015

O magnífico encontro entre História e Poesia

Palavras deram o tom à noite de terça-feira no Inverno Cultural

Quem esteve no Teatro Municipal na noite do dia 21 ficou encantado com a mistura de História e Poesia promovida pelo Inverno Cultural UFSJ. Para aquecer o público, Mar de Água Doce, contada nas escadarias do teatro, narrou a criação do mundo a partir da mitologia de diversas tribos africanas. Logo após, poetas tomaram o palco, com performances que juntaram poesia, música e artes cênicas.

Antes da invenção da escrita, o ato de contar história era a forma mais efetiva de construir e difundir memórias, levando a informação adiante. Tudo o que uma cultura necessitava preservar como crença, como história e como tradição, tinha de ser contado oralmente. Como fizeram as duas atrizes do Mar de Água Doce, que ainda trouxeram para o Inverno Cultural importante debate sobre a cultura afro e seu papel na sociedade. Crianças, jovens, adultos e idosos acompanharam com olhos atentos o desenrolar dos contos. “Nossa origem também é africana, e é fundamental trazer essas histórias para os lugares da cultura popular. Não somos só cultura europeia, somos essa mistura toda”, comentou, enfática, a atriz Janaína Trinidade.

Após o relato de belas histórias ancestrais, o público foi convidado a entrar nas dependências do Teatro Municipal para acompanhar um singular encontro de poetas, que misturaram suas belas palavras a instrumentos musicais e performances cênicas. O homenageado da noite foi o poeta mineiro Aroldo Pereira, fundador do Salão Nacional de Poesia Psiu Poético.

Outro poeta consagrado presente ao Encontro Desmarcado foi Dako$ta Kemerich, que ressaltou sua felicidade em estar num evento “tão grandioso e ao mesmo tempo popular como o Inverno Cultural, que leva a poesia a todas as pessoas, sem escolher público”.

Texto: João Henrique Castro.

Foto: Eric Stefani.

Compartilhe:
0 Comment

Leave a Comment

Your email address will not be published.